Google+ Followers

terça-feira, 21 de abril de 2015

Penteadeira


Peço:

trança meus cabelos;

desnuda os fios que os eriçam

e desalinha os que insistem em se adequar.

Peço:

trança meus devaneios;

desnuda os gritos que os eriçam

e deixa-os,

por favor,

deixa-os desalinhar.

 

quarta-feira, 15 de abril de 2015

Pequeno homem-aranha



Nos lábios rosados dele, ela roçou imperfeitos suspiros doces.
Garantiu-lhe que eram feitos de teias de aranha
e sibilou no canto de seu ouvido que aranhas, 
todas as noites, 
confeitavam as delicadas guloseimas com suas teias mágicas.
Seus fustigantes olhos azuis não duvidaram.
Pôs-se a comê-las, uma a uma,
até que ela, inebriada pelo sorriso dele, também passou a crer.
E juntos atravessaram arranha-céus.
Desde então, toda vez que ele a vê,
puxa-a pela barra da saia, agarra- a pelas mãos e diz:
vem, deita comigo, ali, naquele sofá,
 e me faz acreditar que o que eu sou é só o que eu quero ser.